OS CAPÍTULOS NA VIDA DA ORDEM

A Ordem Franciscana, desde seus inícios, consagrou os Capítulos, quer Geral, Provincial ou Local, com particulares características de fraternidade, conscientes do carisma. Os Capítulos sempre tiveram importância na vida da Ordem, para não perderem de vista o espírito primitivo fundacional. Já de início, São Francisco exigia de seus frades encontros fraternos como condição fundamental de vida.

Quando a Fraternidade tinha atingido o número de oito frades, Francisco os reuniu e lhes falou muitas coisas do Reino de Deus, da conversão pessoal, da abnegação de si mesmo, depois os separou dois a dois e os enviou para os quatro cantos do mundo, para que anunciassem a paz e a penitência. A segunda reunião aconteceu no retorno deles, quando prestavam conta de seus atos e se penitenciavam por não terem sido suficientemente fiéis. Desses dois encontros já se depreende com facilidade os elementos constitutivos de um capítulo: vida espiritual, organização da vida em comum e organização da vida apostólica. "Reuniam-se com prazer e gostavam de estar juntos" (3). Porque eram peregrinos e itinerantes, viam a reunião fraterna como uma forma de consolidação do projeto de comunhão de vida consagrada ao seguimento de Jesus Cristo.

• Em 1212, Francisco determinou dois capítulos anuais: um em Pentecostes e outro em setembro, na festa de São Miguel (em torno de 300 frades);

• Em 1216, Jacques de Vitry afirmava que os frades se reuniam uma vez por ano, em lugar marcado, para se alegrarem no Senhor, comerem juntos, para formular e promulgar leis;

• Em 1217, a Ordem é dividida em Províncias, pelo aumento do número dos Frades e para facilitar o governo. Começam os Capítulos Gerais, formados com os Ministros Provinciais (4), e o Capítulos Provinciais, com a mesma dinâmica dos Capítulo Geral;(5)

• Em 1223, prescreve-se o CG de três em três anos, em Pentecostes;

• Em 1239, ao encerrar o mandato de Frei Elias, foram promulgadas as primeiras Constituições Gerais;

• Para São Francisco, o Capítulo Provincial era esperado com ansiedade, pela importância que tinha na vida da Ordem (6).

• Após o Concilio Vaticano 2º, as Constituições Gerais preveem a possibilidade de Capítulo Provincial Extraordinário em fidelidade às estruturas de governo da Ordem.

• Os Capítulos Locais tiveram início por volta de 1217, quando os frades começaram processo de sedentarização em Fraternidades e eremitérios. Sentiam também necessidade de organização da vida de oração, da vida comunitária e da vida apostólica própria de cada casa.

• A espiritualidade da Fraternidade é que dá sustento a todo tipo Capítulo na Ordem Franciscana e que animaos que a compõem.

(1) CCGG – Art. 173
(2) Dicionário Franciscano, verbete Capítulo
(3) 1CeI 39
(4) RnB 18
(5) Idem 8
(6) LM 4,10

 

MENSAGEM DO MINISTRO PROVINCIAL AOS CAPITULARES

Caríssimos Confrades,
Paz e Bem!

A celebração do nosso Capítulo das Esteiras que vem sendo divulgado desde o mês de Julho de 2013 na agenda das Comunicações da Província, está para acontecer nos próximos dias 22 (chegada) a 25 de setembro, no Seminário Santo Antônio de Agudos. Esta data foi escolhida porque coincide com a visita fraterna que o Ministro Geral, Frei Michael Anthony Perry, deseja fazer aos confrades da nossa Província, acompanhado pelo Definidor Geral, Frei Nestor Inácio Schwerz.
Desde já desejo as boas-vindas aos mais de 250 Frades que já se inscreveram! Uma comissão nomeada pelo Definitório Provincial trabalhou e continua a trabalhar para que o nosso Capítulo das Esteiras seja um momento de graça e de bênção para todos nós. 

O meu sonho é que este Capítulo das Esteiras possa espelhar e refletir aquilo que Tomás de Celano descreveu sobre os primórdios da vida franciscana: “Quando se reuniam em algum lugar, reacendia-se o fogo do amor espiritual, espargindo suas sementes de amizade verdadeira sobre todo o amor. E como? Com abraços fraternos, com afeto sincero, com ósculos santos, uma conversa amiga, sorrisos agradáveis, semblante alegre, olhar simples, ânimo suplicante, língua moderada, respostas afáveis, o mesmo desejo, pronto obséquio e disponibilidade... Consagravam todo o seu afeto aos irmãos, oferecendo-se a si mesmos para atender às necessidades fraternas. Reuniam-se com prazer e gostavam de estar juntos: para eles era pesado estarem separados, o afastamento era amargo e doloroso estarem desunidos” (1Cel 38-39).

Convido a todos para que, ao longo do Capítulo das Esteiras, transformemos o Seminário Santo Antônio naquilo que a Porciúncula representou no vigor da primitiva fraternidade minorítica: ponto de encontro dos irmãos! Assim, portanto, como o Espírito Santo deu vigor aos discípulos de Cristo na manhã de Pentecostes, também este Capítulo das Esteiras deseja ser um novo amanhecer pentecostal onde cada irmão e toda a Fraternidade Provincial poderá reanimar o vigor da alma com a graça do Espírito Santo, para sermos no mundo uma presença alegre de vida, assinalada pelo “Espírito do Senhor e seu santo modo de operar”. 

Também o nosso Capítulo das Esteiras deseja ser a sagrada convergência de irmãos que, provindos de diferentes localidades e frentes de evangelização, vocacionalmente se sentem atraídos por Cristo e em Cristo num único e mesmo vigor evangélico.  Mas o Capítulo das Esteiras, desde as origens, carrega a dimensão missionária, isto é, do envio: irmãos que, a partir de Cristo e do fraternal ágape do ‘sacrum commercium’ do pão partilhado com a senhora dona Pobreza, retomam novo vigor fraterno para viverem no ‘mundo universo’ a alegria da vocação evangélica e da missão evangelizadora. 

Como neste Capítulo das Esteiras vamos ter a graça de poder contar com a presença do nosso Ministro Geral, Frei Michael A. Perry, também permitiremos que ele, a exemplo de São Francisco nos Capítulos celebrados em Santa Maria dos Anjos,  seja para todos nós a presença de um pai que nos admoesta e exorta, que unge as nossas feridas e que nos abençoa na observância do santo Evangelho e da Regra que firmemente professamos.

Ainda acrescento outro ponto de vital importância que vai nos acompanhar na dinâmica da celebração deste nosso Capítulo das Esteiras: queremos vislumbrar no horizonte da nossa vocação e missão o Capítulo Geral da Ordem de 2015 que nos apresenta o tema “Irmãos menores no nosso tempo” – “Todos sejam chamados de frades menores” (RnB 6,3), e ainda em segundo plano do mesmo horizonte, com igual importância, o nosso Capítulo Provincial de janeiro de 2016. 

O Ministro Geral Frei Michael A. Perry, em carta de 19 de maio de 2014, endereçada aos Ministros Provinciais, Custódios e Presidentes de Fundação, solicitou encarecidamente para que todos os Frades se envolvam de corpo e  alma na preparação do Capítulo Geral: “Faço minhas as palavras que o Papa Francisco em novembro passado dirigiu à União dos Superiores Gerais e vos incentivou a “acordar o mundo! Sede testemunhas de um modo diferente de fazer, agir, viver! É possível viver diversamente neste mundo”. Acordai a Ordem! Acordai as vossas Províncias e as vossas Entidades. Sede testemunhas do Evangelho, de uma vida fraterna que promova o crescimento humano, espiritual e franciscano de cada irmão. Sede testemunhas do amor e da misericórdia que tendes recebido de Deus, que é amor! Sede embaixadores da reconciliação e da paz, começando com cada um dos frades com que conviveis e com as vossas fraternidades até aos confins da terra! Sede mensageiros da esperança, inspirando-vos uns aos outros para viver fielmente a nossa vocação franciscana e a compartilhar a alegria do Evangelho com todos!”

Que o Senhor nos conceda dias felizes em Agudos. Levemos para Agudos nossa alegria, nossos sonhos, nossas esperanças, nossa ação de graças, nosso perdão e nosso grande desejo de nos reencontrarmos como irmãos: “Reuniam-se com prazer e gostavam de estar juntos”.
Fraternalmente,

Frei Fidêncio Vanboemmel, OFM
Ministro Provincial

 

DIA A DIA: FRATERNIDADE, MINORIDADE E ATUALIDADE

O Capítulo das Esteiras vai acontecer no Seminário Santo Antônio, em Agudos, a 400 km de São Paulo. O tema escolhido está dentro da proposta da Ordem para o Capítulo Geral, com lema “Irmãos e Menores no Nosso Tempo”.

A ideia é oferecer os irmãos um espaço livre e aberto para partilharmos nossos sonhos, intuições e preocupações para a vivência encarnada de nosso carisma nos dias de hoje. Sendo assim, em cada dia do Capítulo das Esteiras, vamos nos debruçar com atenção e ternura sobre cada um dos termos do trinômio fraternidade, minoridade e atualidade, tudo perpassado por um intenso espírito de gratidão a Deus, expressa nos momentos celebrativos, e alegria pelo reencontro, manifesta nos momentos recreativos e de convivência fraterna. 

Teremos ainda a graça de celebrar o dom da vida e da entrega generosa de nossos irmãos jubilandos e de apreciar a beleza da arte musical na apresentação dos estimados Canarinhos de Petrópolis.  Contaremos também com a presença fraterna e estimulante de nosso Ministro Geral, Frei Michael Perry.  A adesão dos irmãos foi muito significativa. As expectativas são as melhores. Com a graça de Deus, celebraremos um abençoado e marcante Capítulo das Esteiras.

Frei Gustavo Wayand Medella, Pela Comissão Preparatória


PROGRAMAÇÃO

Dia 22 – Segunda-feira
Chegada até às 18h00
 
Dia 23 – Terça-feira
Temática: Fraternidade
8h30 - Missa de Abertura
10h – Encontro Geral – Salão Nobre 
• Vídeo, Acolhida e exposição dos temas: Frades entre nós, Frades entre as criaturas e Frades em estado permanente de missão 
• Diálogo entre a assembleia e a mesa – 30’
14h30 – Atividade em grupos 
16h00 – Esporte
18h30 – Oração da tarde e recepção do Ministro Geral
19h30 – Jantar Recreio

24 – Quarta-feira
Temática: Minoridade
8h30 – Oração da Manhã
9h15 – Encontro com o Ministro Geral e Definidor 
10h45 – Diálogo e interação entre a assembleia e o Ministro Geral
14h30 – Trabalho de grupos a partir das Frentes de Evangelização
18h00 – Missa 
20h30 – Noite Cultural (Apresentação do Coral dos Canarinhos de Petrópolis)
 
Dia 25 – Quinta-feira
Temática: Atualidade
8h30 – Oração da Manhã em ação de graças pela vida dos jubilandos. 
9h15 – Plenária e retorno dos grupos de estudo a partir das Frentes de Evangelização. 
10h45 – Encontro com o Ministro e Definidor Geral e com o Ministro Provincial a partir do que foi apresentado pelas frentes de Evangelização.
14h30 – Encontro com o Visitador Geral, Frei Valmir Ramos
• Informações e esclarecimentos em relação ao Capítulo Provincial de janeiro de 2016
16h30 - Missa de Encerramento com a celebração dos Jubileus presidida pelo Ministro Geral, Frei Michael Perry.

 

A PRIMEIRA VISITA DO MINISTRO GERAL À PROVÍNCIA

O norte-americano Frei Michael Anthony Perry foi eleito Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores no dia 22 de maio de 2013, sucedendo a Frei José Rodríguez Carballo, que foi nomeado pelo Papa Francisco secretário da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica. Natural de Indianápolis, nasceu em 1954. Em entrevista durante a Jornada Mundial da Juventude, contou: “Nasci nos EUA de uma família irlandesa. Tenho também a nacionalidade irlandesa. Sempre fui um irlandês-americano. Isso me ajudou muito, no mundo, a ter uma identidade unificada. Eu tenho três irmãos e uma irmã. Oito sobrinhos e quatro sobrinhos netos. Meus pais já morreram faz alguns anos”.

Foi Ministro Provincial da Província do Santíssimo Coração de Jesus (EUA), onde a serviu na formação teológica e na formação pós-noviciado, trabalhou na Franciscans International em Nova York - uma organização não governamental que se compromete diante das Nações Unidas pela justiça, pobreza e o planeta com e em nome dos mais pobres - e, por dez anos, serviu como missionário na República Democrática do Congo. 

O seu currículo acadêmico inclui um doutorado em Antropologia Religiosa pela Universidade de Birminghan, na Inglaterra, um Master em Missiologia, M. Div. na Formação Sacerdotal e bacharelado em História e Filosofia.

 

ORIGEM DOS CAPÍTULOS

A primitiva experiência da forma de vida proposta por Francisco aos seus frades reclamava, espontaneamente, a realização do encontro fraterno, como exigência intrínseca. A reunião que concretiza esse encontro está na origem daquilo que mais tarde haveria de ser denominado de Capítulo.

Tomás de Celano atesta o fato com bastante clareza na Primeira Vida de São Francisco ao se referir às fases das duas originais e famosas reuniões da primitiva fraternidade franciscana.

Assim é descrita a primeira reunião: “Quando a Fraternidade tinha atingido o número de oito frades, “São Francisco chamou-os todos a si e, tendo-lhes falado muitas coisas sobre o Reino de Deus, o desprezo do mundo, a abnegação da própria vontade e a mortificação do corpo, separou-os dois a dois pelas quatro partes do mundo, e lhes disse: ‘Ide, caríssimos, dois a dois, por todas as partes do mundo, anunciando aos homens a paz e a penitência para a remissão dos pecados...’.”

A segunda reunião é descrita nestes termos: “Pouco tempo depois, São Francisco desejou revê-los e orou ao Senhor, que congrega os dispersos de Israel, que se dignasse reuni-los outra vez em pouco tempo. Assim aconteceu que, bem depressa, de acordo com sua vontade e sem que ninguém os chamasse, eles se encontraram dando graças a Deus. Reunidos, manifestaram a sua grande alegria por rever o piedoso pastor e se admiraram de terem tido todos o mesmo desejo ao mesmo tempo. Contaram depois as coisas boas que o misericordioso Senhor lhes tinha feito e pediram correção e castigo ao santo Pai pelas negligências e ingratidões que pudessem ter cometido, cumprindo-os diligentemente”.

Comentando o fato, Celano assim se exprime: “...era isso que costumavam fazer todas as vezes que chegavam a ele... então o bem-aventurado Pai, abraçando seus filhos com muita caridade, começou a manifestar-lhes seu pensamento e o que o Senhor lhe havia revelado”(1Cel 29;30).

Fácil detectar nas duas descrições o significado fundamental do encontro fraterno que caracterizava as respectivas reuniões. Vemos facilmente presentes os temas da formação espiritual, da organização da vida em comum e da vida apostólica. Por tais razões, essas reuniões se tornaram modelo de todas  as subsequentes reuniões fraternas e capitulares.

A reunião comunitária torna-se logo expressão normal do desejo de comunhão que animava os frades que “tendo desprezado todas as coisas terrenas e estando livres do amor-próprio, consagravam todo o seu afeto aos irmãos, oferecendo-se a si mesmos para atender às necessidades fraternas. Reuniam-se com prazer e gostavam de estar juntos”(1Cel 39).

O aguçado senso de fraternidade que se respirava na nova forma de vida religiosa tinha criado estrutura expressiva na reunião fraterna. No início, tendo excluído de sua forma de vida a stabilitas loci, característica das ordens monásticas, os frades viviam, na reunião fraterna, válido instrumento de expressão e consolidação de sua comunhão de vida consagrada ao seguimento de Jesus Cristo.

Os Capítulos franciscanos são um singular exemplo de expressão do espírito da fraternidade que é característica da Ordem no plano geral, provincial ou conventual e das modalidades de vida comunitária próprias destes diferentes níveis. Eles fazem parte do patrimônio espiritual da Ordem e precisam ser valorizados e realizados segundo o espírito que presidiu sua instituição.

Fonte: Dicionário Franciscano

 

CONFRADES JUBILANDOS 2014


As comemorações dos Jubileus da Província da Imaculada Conceição neste ano acontecerão durante o Capítulo das Esteiras. Neste ano, são 43 frades que celebram a ação de graças pelos 25, 50, 60, 65 e 71, 72, 73 anos de Vida Religiosa ou Sacerdotal.

“Para a Província, a celebração dos jubileus é por excelência um momento de ação de graças onde, em fraternidade, agradecemos o dom da vocação de cada um desses nossos irmãos”, lembra Frei Fidêncio Vanboemmel, Ministro Provincial.

“Em primeiro lugar, sublinhamos a vocação à vida religiosa franciscana. ‘O Senhor me concedeu’ viver esta forma e Regra de vida, nos ensina São Francisco de Assis! E nesta mesma lógica, o Seráfico Pai ainda nos ensina que o irmão é uma dádiva divina dada à fraternidade: ‘O Senhor me deu irmãos’! Em segundo lugar, evidenciamos a vocação presbiteral dos confrades que celebram seu jubileu sacerdotal. Louvamos e agradecemos a Deus pela vida sacerdotal desses irmãos porque o Senhor ‘os honrou acima de todos, por causa desse mistério’, nos exorta São Francisco”, completa o Ministro Provincial.


A Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil celebra solenemente os jubileus de seus confrades:

74 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Dom Frei Paulo Evaristo Arns

73 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei João Batista de Araújo Campos
Frei Olavo Seifert

72 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Cássio Vieira de Lima
Frei Nestor Kuhn
    
70 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Ciríaco Tokarski
Frei Policarpo Berri

65 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Ascânio Santana
Frei Eliseu Tambosi
Frei Floriano Surian
    
60 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Felipe Gabriel Alves
Frei Geraldo Hagedorn
Frei Clarêncio Neotti
Frei Alcides Cella 
Frei Antônio Alexandre Nader
Frei Gaudêncio Sens

50 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Conrado Lindmeier
Frei Domingos Boing Hellmann
Frei Estêvão Ottenbreit
Frei Marcos Hollmann
Frei Olivo Luiz Tondello
Frei Paulo Limper
Frei Günther Max Walzer

25 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Frei Airton da Rosa Oliveira
Frei Antonio Joaquim Pinto
Frei César Külkamp
Frei Hermenegildo Curbani
Frei Marco Antonio dos Santos
Frei Marcos Antonio de Andrade
Frei Samuel Ferreira de Lima
Frei Valdemiro Wastchuk
Frei Valdevino Negherbon

65 ANOS DE SACERDÓCIO
Frei Cássio Vieira de Lima

60 ANOS DE SACERDÓCIO
Frei Abel Schneider
Frei Juvenal Sansão

50 ANOS DE SACERDÓCIO
Frei Almir Ribeiro Guimarães
Frei Antonio Lopes Rodrigues
Frei Ary Estevão Pintarelli
Frei Benjamim Francisco Ansolin
Frei Carlos Pierezan
Frei Neylor José Tonin
Frei Pascoal Fusinato

25 ANOS DE SACERDÓCIO
Frei Vilmar Alves da Silva

Graças sejam dadas a Deus  por esse dom inefável. (2Cor 9,15)