Highslide for Wordpress Plugin

Frei Diego inicia seu ministério presbiteral

Por Moacir Beggo

Lages (SC) – O novo presbítero Frei Diego Melo não poderia ter ganho melhor presente do que o carinho e o acolhimento da Comunidade São Miguel, em Lages (SC), onde nasceu, cresceu e voltou para realizar o sonho de ser um apóstolo de Cristo. Durante uma semana, a Comunidade se mobilizou para preparar a ordenação presbiteral (veja vídeo) e deu uma grande demonstração de afeto e fé na Primeira Missa, celebrada neste domingo (12/02).Como era de se esperar, a Comunidade não perdeu a oportunidade de participar deste momento e a Capela ficou pequena para tanta gente.

Tranquilo e calmo, Frei Diego presidiu sua primeira celebração eucarística, tendo ao lado seus confrades e diáconos Frei Vanderlei Grassi e Frei Wilson Batista Simão, que serão ordenados ainda neste semestre; o pároco de Nossa Senhora Aparecida, Frei Gentil Branco; o seu pregador, Frei Bertolino Thol; e o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel. O bispo ordenante Dom Irineu Andreassa, OFM, sentou na primeira fila da igreja ao lados dos pais e irmãos de Frei Diego.  Mais 30 frades estiveram presentes, além de religiosos (as), seminaristas do Seminário São Francisco de Assis de Ituporanga e o grupo de amigos e paroquianos de Nilópolis e Petrópolis (RJ), que vieram para a sua ordenação.

Frei Diego procurou os frades do Convento São José quando iniciou o seu discernimento vocacional em 2001. O primeiro frade a recebê-lo foi Frei Bertolino Tholl e, por isso, foi o escolhido de Frei Diego para fazer a homilia da sua Primeira Missa. Atual vigário paroquial de Ituporanga, Frei Bertolino iniciou a sua pregação lembrando que a missão assumida por Frei Diego, que é a missão de todos os discípulos de Cristo, é a de evangelizar. Segundo ele,  a evangelização é muito mais que proclamar com palavras a presença do Reino de Deus entre nós, mas é torná-lo presente por meio de nossas ações.

Para Frei Bertolino, o Evangelho de Marcos da cura do leproso, ajuda-nos a entender que conceito temos de Deus pelo modo que acolhemos o outro, especialmente quando esse outro é um “leproso” de nossos dias, um marginalizado. “Frei Diego, você não pode deixar de evangelizar pelo anúncio da Palavra, mas nunca se esqueça de evangelizar pela presença junto ao povo, indo ao encontro de todos os ‘leprosos’ de nossos dias, como fez São Francisco de Assis, ouvindo os seus lamentos e aflições e promovendo ações que fazem a vida florescer onde está sendo maltratada. Para você se tornar um evangelizador que proporcione vida plena a todos, não tenha medo de retirar-se e subir a montanha para se encontrar-se com o Pai pela meditação constante da Palavra de Deus, pela Eucaristia e tendo a coragem de dobrar os joelhos todos os dias e muitas vezes ao dia”, ensinou.

A resposta da comunidade emocionou Frei Diego, que não se cansou de elogiar e agradecer. “Ainda distribuindo a comunhão, pude perceber as mãos calejadas das pessoas, mãos que trabalham em serralherias, no campo ou no trabalho doméstico. Por isso, a cada vez que venho aqui, renovo a certeza de que o Reino de Deus é para todos, mas de modo especial para os pobres”, disse Frei Diego, pedindo: “Nunca me deixem esquecer as minhas raízes, de uma família simples e uma comunidade simples e pobre, mas que não perde a fé”.

À família, o novo presbítero sempre falou com emoção, especialmente da mãe, Dona Roseli, que teve um papel importante na sua vocação. “Quando eu era criança, ouvi alguém dizer que quem tem Jesus tem uma luz dentro de si. Cheguei em casa, abri a boca para ver se via Jesus lá dentro. Não enxerguei. Hoje, vejo essa luz dentro de mim. Não é meu brilho, não é uma luz minha, mas é o próprio Jesus que está dentro de mim e que vocês me ajudaram a descobrir”, completou. Fora da celebração, o que se viu em Lages foi o milagre da partilha. Tanto a Comunidade São Miguel, como a Fraternidade São José e a Paróquia Nossa Senhora Aparecida não pouparam esforços para acolher da melhor maneira possível os frades e visitantes.

Frei Diego primeira missa