Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 23/04/2017

Sinal de paz e fé

2° Domingo da Páscoa

23Jo 20, 19 -31

Tomé disse: «Se eu não vir a marca dos pregos nas mãos de Jesus, se eu não colocar o meu dedo na marca dos pregos, e se eu não colocar a minha mão no lado dele, eu não acreditarei.»

No Evangelho de hoje, Jesus aparece aos discípulos para retirá-los do medo que, pela perseguição dos judeus, viviam oprimidos e com medo da morte. As primeiras palavras de Jesus foram: “A paz esteja convosco!” (Jo 20,19) e os seus discípulos ficaram alegres e felizes em poder ver o Senhor. De novo, Jesus fala: “A paz esteja convosco!” (Jo 20,21).

Porque Jesus insiste em dizer “A Paz esteja convosco?!” (Jo 20,21). Podemos perceber que, quando estamos em paz, temos a coragem de se doar, de amar e se entregar por inteiro ao projeto de Deus. Mas quando temos medo, ficamos paralisados e não conseguimos continuar. É por isso que Jesus aparece no meio deles e diz pela segunda vez: “A Paz esteja convosco!” (Jo 20,21). Jesus os tira da paralisia.

Neste Evangelho, Cristo convida Tomé a colocar a mão nas feridas e ali acontece uma das profissões de fé mais lindas narradas da Sagrada Escritura; Tomé professa com o coração, com a alma: “Meu Senhor, e meu Deus”.

É nesta paz que Jesus envia seus discípulos para a missão de anunciar o Evangelho a todas as criaturas. E assim, nesta atitude, devemos fazer o que nos pede o Senhor: onde formos ou estivermos podemos ser este sinal de paz.

Reflexão feita pelos noviços