Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 28/04/2017

Pães e peixes, dom para a vida

Tempo Pascal

28Jo. 6,1-15

“Jesus ergueu os olhos e viu uma grande multidão que ia ao Seu encontro” (jo. 6,5).

No evangelho de hoje, Jesus nos apresenta a solidariedade, o serviço e a partilha como meio de acolhimento do próximo quando este, passando em situações de angústia, vem ao nosso encontro.

Na vida ninguém cruza o nosso caminho por acaso, há sempre um motivo, tudo acontece como Deus predestinou para nós, e o irmão vem ao nosso encontro porque sim, é nesta hora que devemos prestar bastante atenção no que Deus nos quer transmitir a partir da pessoa do próximo. Jesus nos convida a ter um olhar solidário a fim de que percebermos o próximo não só pela sua presença física, mas pela alegria que há em seu coração quando este vem até nós.

A obra de misericórdia que fazemos na vida serve para completar a nós mesmo, pois, o ser humano na sua essência é bom, o irmão é simplesmente uma graça que Deus nos deu para ajudar a acender em nós a luz que nos faz alcançar a verdade, para trazer à tona aquilo que Deus viu no homem quanto o fez “Deus viu tudo o que havia feito, e tudo era muito bom” (Gn 1, 31). Jesus, porém, toma o pão em suas mãos e agradece ao Pai pela oportunidade que lhe é dada de servir os irmãos, na intenção de engrandecer a Deus, Cristo partilha com a multidão o pouco que tem.

A Páscoa é festa, pois Jesus venceu a morte para nos libertar e mostrar uma nova forma de proceder na vida; é alegria que tem maior sentido quando se dá em comunidade. Assim como Cristo, alegremo-nos com a presença daqueles que vêm até nós, pois a vida tem sentido porque não estamos só.

Reflexão feita pelos noviços