Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 25/10/2017

Memória de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão

Tempo Comum

sabor_251017Lc 12, 39-48

“Feliz o empregado que o senhor, ao chegar, encontra fazendo isso!”

O Evangelho deste dia, conforme narra Lucas, fala do comprometimento que o discípulo deve possuir com a causa do Reino. Jesus exemplifica aos seus apóstolos a prontidão que eles devem possuir em cuidar e guardar o seu rebanho, tal qual o dono da casa prestes a ser roubada, para que o ladrão não venha a levar o que é seu. Jesus deixa mais claro ainda quando conta outra parábola em resposta a Pedro, dizendo-lhe que devem ser como o empregado que mantêm a casa em ordem porque não sabe a que horas chegará seu patrão.

Tomemos em conta de que nossa fé não busca simplesmente apontar valores para que todos convivam de modo próspero enquanto caminhamos sobre esta terra. Jesus veio ao mundo para conduzir-nos à vida eterna. A morte pode-se comparar ao ladrão, sobretudo, ao patrão que chega a qualquer momento, para prestar contas se fomos fiel ao Senhor em nosso peregrinar. Bem-aventurado o servo que o Senhor encontrar ocupado com o que é Seu! Assim ocorreu com São Frei Galvão que celebramos hoje, ele que se dedicou aos pobres e aos doentes com grande caridade, alcançando assim a vida eterna, através do amor a Cristo nos irmãos.

Neste dia, peçamos a Deus por especial intercessão de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, que nos inspire tão grande zelo ao projeto do Reino e que pela sua edificação nos conduza a vida nova, a salvação.

Reflexão feita pelos noviços.