Vida CristãFrei AlmirO Sabor da Palavra › 04/12/2017

A cura do servo do centurião

Tempo do Advento

sabor_041217Mt 8, 5-11

“Eu garanto a vocês: nunca encontrei uma fé igual a essa em ninguém de Israel”

Na cura do servo do Centurião, Jesus aponta-nos duas situações muito distintas no que se refere à fé: por um lado, deixa transparecer sua decepção diante da dureza do coração do povo de Israel, que apesar de ser “povo eleito”, raça escolhida à qual o próprio Deus dignou enviar seu Filho Unigênito, ainda assim foi muito pouco receptivo à Boa Nova por Ele anunciada, bem como a todos os profetas que o antecederam, mesmo em meio a tantos milagres e outros sinais.

Em outro extremo, observamos a grandiosidade da fé do Centurião romano que, mesmo não professando a fé judica, ao ouvir falar de Jesus, maravilhado com tudo que se dizia a seu
respeito, partiu imediatamente ao seu encontro, reconhecendo-o como filho de Deus, descumprindo perigosamente as ordens de seus superiores. Tal homem, apesar de sua patente elevada, reconhece-se pequeno e indigno de receber o Mestre em sua casa e por seu gesto de plena confiança e total abandono de si mesmo, obteve da parte de Jesus a cura que buscava alcançar para seu servo.

Que em nossa vivência de fé tenhamos a mesma atitude do Centurião, que ousou crer, mesmo contrariando seus iguais. Que não tenhamos a descrença daqueles israelitas que, apesar de tantas provas, duvidaram da descendência divina de Jesus. Que ao invés de “ver para crer” aprendamos com ele a “crer para ver” e assim possamos em nossas vidas, contemplar as maravilhas que Deus revela a aqueles que o temem.

Reflexão feita pelos noviços.