Frei Vanderlei inicia seu ministério presbiteral

Moacir Beggo

São Paulo (SP) – Frei Vanderlei da Silva Neves, ordenado presbítero neste sábado pelo bispo diocesano de Osasco, Dom João Bosco Barbosa de Souza, celebrou neste 3º Domingo do Advento (17/12), chamado de Domingo da Alegria, a sua Primeira Missa, no Santuário e Convento São Francisco, no centro de São Paulo. Sereno e calmo como é próprio de sua personalidade, Frei Vanderlei deu início ao seu ministério sacerdotal, tendo ao seu lado confrades concelebrantes como o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, o guardião do Convento São Francisco, Frei Mário Tagliari, e o pároco Frei Alvaci Mendes da Luz.

missa_171217_3

Frei Alex, o pregador

Na primeira fila estavam seus familiares e seus pais Maria do Socorro e Valdecy Pereira Neves. A mãe se emocionou durante toda a celebração participando deste momento tão esperado.

Como é de costume na Província da Imaculada, o neopresbítero não faz a primeira homilia, mas a missão é dada a um convidado seu. Frei Vanderlei escolheu o seu guardião e confrade Frei Alex Ciarnoski, da Fraternidade São Luís Gonzaga, em Xaxim (SC), onde residem.

Frei Alex agradeceu ao “gesto carinhoso” de Frei Vanderlei e disse que ali estava representando seus confrades e a Paróquia de Xaxim. De início, lembrou o apelo que São Paulo nos faz na segunda leitura de hoje, dizendo-nos: “Em tudo dai graças ao Senhor!”. “Louvado sejas, meu Senhor, pela sua vida, Vanderlei, pela sua vocação e seu chamado! Em tudo, bendizei, louvai e agradecei ao Senhor. Que esse sentimento esteja presente em nossos corações”, desejou o frade pregador.

Frei Alex, contudo, centrou sua pregação na figura de João Batista e no testemunho que ele deu de Jesus, trazendo esse questionamento para a realidade que o novo sacerdote vai encontrar na sua Paróquia com o seu rebanho. “A liturgia deste 3º domingo do Advento apresenta a figura de João Batista em destaque, embora ele próprio diga que quem está em destaque é a figura de Jesus. Mas a figura emblemática de João Batista nos faz refletir. Algumas pessoas no seu tempo esperavam ansiosamente a vinda do Messias, Aquele que poderia trazer a libertação de seu povo. Vão até João Batista perguntar se ele era o Messias, se ele representava os anseios do povo”, situou Frei Alex.

missa_171217_4

O frade recordou que a história se repete nos nossos dias. “Muitas pessoas hoje nos procuram com anseios de libertação, com sonhos de vida melhor”, disse, enumerando uma série de perguntas e anseios presentes na Paróquia onde Frei Vanderlei vai estar a serviço, como os jovens, que buscam explicações para seus desafios; as pessoas que caíram no caminho das drogas; os conflitos agrários na região; os problemas do mundo urbano, como se pode ver com o crescimento do centro de Xaxim; o êxodo do campo, matando as pequenas comunidades no meio rural; a questão dos migrantes, de modo especial os haitianos, que chegam em busca de uma vida melhor; a questão indígena; o sofrimento de tantas e tantas pessoas presentes nas nossas realidades, no nosso dia a dia.

“João se diz testemunha. Testemunha do quê? Testemunha da presença do Senhor”, responde o pregador. “Ele é muito claro em dizer que o Messias está presente nas diversas realidades. É preciso olhar para o nosso mundo e reconhecer que Deus está presente, às vezes disfarçado e discretamente em tantos gestos de amor, bondade, solidariedade, gestos que contribuem e colaboram para a construção de um mundo melhor. Sim, Deus está presente nos corações, nas palavras e nas ações de tantas pessoas. Isso é ser testemunho dos sinais da presença de Deus. João Batista é um sinal da presença de Deus e ele nos convoca e, de modo especial, a você, Vanderlei, que devemos ser sinais da presença de Deus na nossa realidade, no nosso mundo de hoje”, indicou o frade.

missa_171217_5

Frei Alex lembrou o lema da ordenação de Frei Vanderlei que reflete esta presença: “Ninguém tem maior amor do que aquele dá a vida aos seus amigos”.

“Esse lema se propõe a ser um sinal da presença de Deus na sua atuação de vida”, disse, dando a palavra para o neopresbítero falar por que escolheu este lema para o seu ministério. Frei Vanderlei disse que nele está uma fonte para a vida cristã e a espiritualidade franciscana. “Esse amor é a capacidade de se doar, de se entregar a um irmão e, no seu rosto, reconhecer o rosto de Cristo. Amamos a Jesus, mas devemos demonstrar esse amor também para com nossos irmãos. O amor não é uma coisa extraordinária, mas se manifesta nas pequenas coisas, que, com certeza, vão marcar nossa vida e promover grandes transformações”, disse Frei Vanderlei, que no final da sua Primeira Missa voltou a agradecer a todos que proporcionaram este momento histórico na sua vida, especialmente o coordenador do Serviço de Animação Vocacional, Frei Diego Melo, que teve como ajudante neste Ano Missionário Frei Gabriel Dellandrea.

Frei Vanderlei ganhou a homenagem de Frei Odorico Decker, que com sua gaita, neste domingo da Alegria, cantou “Jesus alegria dos homens”.

missa_171217_2

A LÁGRIMA DE DONA MARIA DO SOCORRO. NÃO ERA DE TRISTEZA, MAS DE ALEGRIA NESTE DOMINGO.

VEJA MAIS IMAGENS DA CELEBRAÇÃO