Noviços fazem a Primeira Profissão nesta segunda

Moacir Beggo

O Noviciado São José de Rodeio, em Santa Catarina, estará em festa no dia 8 de janeiro de 2018 com a Primeira Profissão de treze noviços da vida religiosa franciscana. Depois de viverem um ano intenso de oração, trabalho e estudos do modo de vida franciscano, o Definitório Provincial deu o aval que façam a Profissão Temporária na Ordem dos Frades Menores durante a Celebração Eucarística, presidida pelo Ministro Provincial Frei Fidêncio Vanboemmel, às 19 horas, na Igreja São Francisco de Assis.

rodeio-300Esta 116ª turma do Noviciado é composta por sete brasileiros: Frei Bruno Gonçalves Cezário, Frei Diego Martendal, Frei João Manoel Zechinatto, Frei José Victor de Camargo Medeiros, Frei Marcelo Dias Soares, Frei Rodrigo José Silva, Frei Ruan Felipe Sguissardi; e seis angolanos da Fundação Imaculada Mãe de Deus (FIMDA): Frei António Sacaputo Maimo, Frei João Baptista Culiaquita, Frei Inoc Joaquim João, Frei Eduardo José Cavita Camunha, Frei Alberto Capingala Martinho Sambei, Frei Silvério Munga Cajonde. Frei Domingos Macuva Paulo (FIMDA) permanecerá como noviço por mais alguns meses por estar fazendo tratamento de saúde.

Segundo o Mestre Frei Samuel Ferreira de Lima, este ano foi marcante, a começar pela tensão com o adiamento da chegada dos angolanos que não conseguiram vistos para estarem no Brasil antes do dia 15. “Deu o dia da vestição e eles não tinham chegado. Tudo ficou suspenso, pois é difícil iniciar um processo sem seus atores. Mas, graças a Deus, no dia 6 de fevereiro, todo o grupo se compôs e a vida começou a fluir”, disse o Mestre, lembrando que neste mesmo mês da chegada os angolanos puderam participar da Caminhada Penitencial do Frei Bruno, em Joaçaba, e ficaram impressionados com a devoção e participação do povo naquela celebração.

“Depois, outro ponto marcante foi a Caminhada Franciscana da Juventude que movimentou Rodeio e trouxe uma multidão de jovens para caminhar e fazer a experiência do Eremitério. As Missões em preparação à visita pastoral do nosso Bispo Diocesano Dom Onécimo Alberto foi extraordinariamente envolvente, pois quase a totalidade de todas as famílias de Rodeio foram visitadas pelos missionários, entre eles os noviços. Perceber os dramas, as lutas, os sofrimentos escondidos dentro da vida familiar, os fez perceber que cada um, no seu cotidiano, tem suas cruzes para carregar e que a vida é mais desafiadora do que parece”, recordou Frei Samuel.

“Em julho, a visita pastoral de Dom Onécimo foi muito envolvente e motivadora. Ele fez questão de ter um encontro com os noviços e participar das orações e da vida do noviciado. Isto mostrou o quanto ele é pastor e cuida das vocações na Igreja. Também os três encontros do Novinter foram momentos ricos de partilha, convivência e aprendizado em uma Igreja diversa e rica”, acrescentou, mas foi um ano de provações para alguns irmãos que sofreram com a “irmã enfermidade que visitou a muitos”. “Mas todos souberam acolher com paciência e alegria as provações da caminhada”, ponderou. “As experiências de Eremitério foram muito intensas, além dos encontros em grupos. Quase todos quiseram fazer a experiência do silêncio e meditação durante três dias, uma característica marcante desta turma e que, ao mesmo tempo, tinha predisposição para a missão”, completou Frei Samuel.

Segundo a Ordem dos Frades Menores, o tempo da profissão temporária é o “período durante o qual se completa a formação para viver de modo mais pleno a vida própria da Ordem e melhor cumprir sua missão”. Na Ordem Franciscana, os votos dos professos temporários são renovados anualmente até o momento da profissão solene.

A profissão religiosa na Ordem Franciscana, emitida nas mãos do Ministro Provincial, faz-se nos seguintes termos: “Para louvor e glória da Santíssima Trindade. Eu, Frei N.N., tendo o Senhor me dado a graça de seguir mais de perto o Evangelho e os passos de nosso Senhor Jesus Cristo, em tuas mãos, Frei Fidêncio Vanboemmel, com firme fé e vontade, faço voto a Deus, Pai santo e todo-poderoso, de viver por um ano, em obediência, sem nada de próprio e em castidade. Ao mesmo tempo, professo a vida e a regra dos Frades Menores, confirmada pelo Papa Honório, e prometo observá-la fielmente segundo as Constituições da Ordem dos Frades Menores. Entrego-me, pois, de todo o coração a esta Fraternidade, para que, pela ação eficaz do Espírito Santo, guiado pelo exemplo de Maria Imaculada, por intercessão de nosso Pai Francisco e de todos os santos, e com a ajuda fraterna de todos, eu possa tender constantemente para a perfeita caridade, no serviço a Deus, à Igreja e aos homens”.

 

Professandos_020118-830