Vida CristãNotícias › 14/01/2018

Papa se encontra com indígenas brasileiros em Puerto Maldonado

papa_peru_030118

Na segunda-feira, 15 de janeiro, o Papa Francisco inicia mais uma Viagem Apostólica internacional, retornando à sua América Latina, para visitar desta vez o Chile e o Peru. Uma das etapas contempla a cidade da Amazônia peruana de Puerto Maldonado, em 19 de janeiro, onde Francisco se reunirá com indígenas do Peru, Bolívia e Brasil.

O bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado, Dom David Martínez Aguirre, informou em um comunicado já ter entregue um convite aos povos indígenas, anunciando que “o Papa Francisco está vindo para ver vocês”. “Contamos a eles quem é o Papa Francisco, o que representa este personagem para a Igreja e a humanidade, que mensagem está nos dando hoje, por que vem a Puerto Maldonado e por que deseja ter um encontro específico com eles”, explicou.

O prelado acrescentou ainda ter mantido “conversas com as federações, com algumas organizações indígenas, para ouvi-las”, para somente então elaborar listas e “buscar formas de financiamento”, pois – explica – “uma das dificuldades que as comunidades nativas têm, em sua maioria, é que vivem em locais muito afastados”.

Para chegar até o local onde muitos deles vivem, é possível somente “com o uso de transporte fluvial que é muito mais caro. Assim era preciso se organizar, buscar financiamento. Uma vez conseguida esta ajuda e que agora já temos as nossas planilhas, estamos trabalhando na organização das viagens”.

Dom Martínez disse que o Papa, em sua Encíclica Laudato Si, afirma que “os povos indígenas são minorias que devem ser levadas em conta, porque nos estão dando a possibilidade de outras direções a nossa humanidade”.

“O que eu espero deste encontro – revela o bispo – é que os povos indígenas sejam reconhecidos como protagonistas importantes que devem sentar-se nas mesas de negociação de nosso mundo, não somente para as políticas que afetam seus territórios, mas também para as políticas nacionais em nível mundial”.

papa_peru_030118_2

A cidade de Puerto Maldonado, capital da região amazônica de Madre de Dios, está quase pronta para receber a visita de Francisco, garantiu.

Está previsto que o Papa visite o Coliseo Cerrado Madre de Dios, a explanada do Instituto Superior Tecnológico Jorge Basadre e o Lar “El Principito” que acolhe crianças e adolescentes.

O Vicariato também adiantou que durante sua permanência na cidade, Francisco “dará uma mensagem aos povos indígenas e não indígenas da Amazônia”, e que poderá reunir-se com indígenas do Brasil e Bolívia, já que Madre de Dios é uma região fronteiriça entre os três países.

O Santo Padre chegará ao Peru vindo do Chile na quinta-feira, 18 de janeiro, onde permanecerá até o dia 22, depois de cumprir etapas em Lima, Puerto Maldonado e Trujillo.

Uma comunidade indígena do Peru decidiu batizar com o nome de Papa Francisco uma área de 1.800 hectares na Amazônia, em reconhecimento à preocupação do Papa com o cuidado e a conservação do meio ambiente. O anúncio foi divulgado pelo Ministério do Meio Ambiente do Peru. O “Nihii Eupa Francisco” (bosque Papa Francisco, na língua nativa da etnia amahuaca) se encontra na comunidade nativa de Boca Pariamanu, situada na região selvática de Madre de Dios, cuja capital, Puerto Maldonado, receberá a visita do Pontífice em 19 de janeiro de 2018.

Naquela ocasião, os nativos querem entregar ao Papa cópia da ata da Assembleia que estabelece este ‘batismo’, a fim de informar o Papa sobre os gestos de proteção dos bosques realizados pela comunidade indígena.

A comunidade de Boca Pariamanu é formada por 180 habitantes agrupados em vinte famílias e é a única comunidade de Madre de Dios da etnia amahuaca (filhos de capivara, animal que segundo a língua original do povo, cantava).
O bosque em que vive este grupo de nativos tem beleza paisagística e serve de habitat para espécies como águias, jaguares, tapires, além de concentrar árvores como castanhos, cedros e outras.

papa_chile_030118

VIAGEM AO CHILE

De Roma, o Papa voa direto, dia 15 para Santiago, no Chile, onde chega à noite. Terça-feira, pela manhã, está marcado o encontro com as autoridades, a sociedade civil e o corpo diplomático no Palácio de La Moneda, onde está previsto o primeiro pronunciamento do Papa. A seguir, haverá um encontro de cortesia com a presidente Michelle Bachelet, no Salão Azul do Palácio.

Ainda no mesmo dia, o Francisco presidirá a missa no Parque O’Higgins e fará uma breve visita ao Centro Penitenciário Feminino Santiago. Ele fará uma saudação aos presentes.

Depois o Papa irá à Catedral de Santiago para o encontro com sacerdotes, religiosos, consagrados e seminaristas. Na sacristia, sucessivamente, o Papa se reunirá com os bispos. A programação do dia 16 se encerra com uma visita ao Santuário de San Alberto Hurtado e um encontro a portas fechadas com os sacerdotes da Companhia de Jesus.

Quarta-feira, 17 de janeiro: Temuco

No dia seguinte, quarta-feira, 17, Francisco parte do aeroporto de Santiago e depois de 1h30 de voo, chega a Temuco, onde presidirá a Santa Missa no aeroporto de Maquehue e almoçará com moradores de Aracaunia na casa Madre de la Santa Cruz.

Na volta a Santiago, os jovens o esperam no Santuário de Maipu e enfim, fechando o dia, irá à Pontifícia Universidade Católica do Chile, último compromisso na capital chilena.

Quinta-feira, 18 de janeiro: Iquique

A terceira e última cidade visitada pelo Papa no Chile será Iquique. Ali, no dia 18, preside uma missa no Campus Lobito. Em seguida almoça na casa de retiros dos padres oblatos no Santuário Nossa Senhora de Lourdes. Após a cerimônia de despedida, o Papa segue às 17 horas para a segunda etapa de sua viagem apostólica: Lima, capital do Peru.

Chegando ao aeroporto, o protocolo prevê a tradicional cerimônia de boas-vindas, que encerra o programa oficial do dia.

VIAGEM AO PERU

No Peru, 19 de janeiro, de Lima para Puerto Maldonado

Sexta-feira, 19, o dia começa bem cedo, com o encontro com as autoridades, a sociedade civil e o corpo diplomático, seguido da visita de cortesia ao presidente do país. Às 10h, depois de 2 horas de voo, um dos eventos mais aguardados da viagem: o encontro no Coliseu Regional Madre de Dios com os povos da Amazônia, na cidade fronteiriça de Puerto Maldonado e com a população local, além de uma visita à casa infantil Principito. Retornando a Lima, Francisco terá um encontro privado com os membros da Companhia de Jesus na Igreja de São Pedro, último compromisso do dia.

Sábado, 20 de janeiro: Trujillo

Sábado, 20 de janeiro, Francisco faz outro voo, de 1h30, até a cidade de Trujillo, onde preside a missa na esplanada costeira de Huanchaco, faz uma volta em papamóvel pelo bairro “Buenos Aires” e visita a Catedral. Estão previstos ainda um encontro com os sacerdotes, religiosos e seminaristas no Colégio Seminário SS. Carlos y Marcelo e uma celebração mariana na Praça das Armas, antes de retornar para a capital.

Domingo, 21 de janeiro: Lima

Domingo, 21, último dia da viagem, o Papa rezará a oração da Hora Média com religiosas de vida contemplativa no Santuário do Senhor dos Milagres na catedral de Lima, fará uma oração junto às relíquias dos santos peruanos. No final da manhã terá um encontro com os bispos no Palácio Arquiepiscopal e rezará o Angelus na Praça das Armas. O almoço com a comitiva será na Nunciatura.

À tarde, a última missa do Papa no Peru, na Base Aérea “Las Palmas”, de onde segue para o aeroporto e parte para Roma. A chegada está prevista para segunda-feira, 22 de janeiro, no aeroporto romano de Ciampino.