Vida CristãNotícias › 11/01/2018

Clarissas visitam Santuário e Convento da Penha

clarissas_110118

Vila Velha (ES) - No dia 10 de janeiro, Vila Velha teve a feliz graça de receber por algumas horas as irmãs clarissas do Mosteiro da Santíssima Trindade de Colatina (ES). As irmãs, sob os cuidados dos Freis Gilson e Paulo, tiveram um dia de passeio e confraternização pelo Santuário, Convento da Penha, Igreja da Prainha e para fechar o dia, a oportunidade de molhar os pés nas águas da Praia de Itaparica.

As irmãs clarissas possuem o estilo de vida contemplativa. Seus dias são sustentados pela mística da clausura, pelo silêncio, oração e trabalho. Contudo, dentro de um extraordinário pedido, elas podem sair para estar mais próximas de seus irmãos franciscanos (OFM). A mesma intenção é argumentada e tem por base o grande e real amor entre as duas ordens, desde o tempo de São Francisco e da própria Clara de Assis.

O dia de visitas começou pelo Santuário. Após essa primeira parada, as irmãs foram ao encontro da Virgem da Penha, lá na montanha Sagrada. Junto aos peregrinos, as irmãs participaram da Santa Missa. Lembrando Moisés que, numa passagem do Antigo Testamento fora descrito como aquele que com as mãos firmes até o pôr-do-sol, garantiu com que Josué vencesse a batalha (cf. Ex 17.8-13), irmã Agnes, superiora do Mosteiro, disso ao povo reunido que, “as Clarissas permanecem com as mãos erguidas de modo a garantir que todos que estão nos afazeres do dia a dia, sejam capazes de vencerem as suas batalhas”, admoestou a freira.

A cada passo dado pelas irmãs no Convento da Penha, as mesmas eram paradas pelos romeiros pedindo e recomendando mais e mais suas vidas às Damas Pobres, filhas de Clara. Atentas e animadas, as irmãs distribuíam sua atenção e acolhida a todos os que lhe pediam.

Dando uma passada pelo claustro dos frades do convento da Penha, as irmãs seguiram animadas para o almoço, preparado com carinho pelas voluntárias, Valéria, Rosângela e Maria José. Mas antes, as irmãs deram uma passada na Igreja Matriz, a famosa e antiga igreja da Prainha. Na Matriz, Frei Clarêncio pode acrescentar às irmãs, algumas informações acerca da construção da igreja. Seguido do almoço as irmãs conheceram o Farol de Santa Luzia, ponto turístico da cidade.

Com o Sol que fazia ontem, as irmãs não puderam sair de Vila Velha sem ao menos colocar os pés nas águas geladas da Praia de Itaparica. E para driblar o calor, deliciaram-se com picolé, suco natural e uma gelada água de coco. Essa última benesse, a água de coco, fora doada por um benfeitor do Convento da Penha que tem um comércio a beira da Praia.

O simples andar por entre as ruas, o cumprimentar as pessoas que com elas se encontravam e tomar uma água de coco na praia, revelam a humanidade, simplicidade e alegria de todo aquele(a) que dedica seus dias ao chamado de Deus. Não há dúvidas da altíssima radicalidade e vivência por entre as grades do claustro. Do mesmo modo, não há dúvidas do quanto as irmãs Clarissas confiam e alegram-se com o que um dia prometeram diante de Deus e da Igreja. Portanto, fica o testemunho em vida dessas mulheres que nos garantem as várias vitórias por meio de suas intensas preces feitas a Deus, por nós.

Somos gratos e felizes por suas vidas, filhas de Claras. Deus as conserve.

Pascom Paróquia do Rosário