A InstituiçãoNotícias › 13/01/2018

Frei Faustino Tomelin é sepultado em Santo Amaro da Imperatriz

tomelin_130118Frei Faustino Tomelin (80 anos) faleceu hoje, 13 de janeiro, às 10h40, no Hospital São José, Criciúma-SC, vítima de parada cardíaca. Há uma semana,  Frei Faustino sofreu uma queda de sua cadeira de rodas. Após exames de tomografia e raio X, constatou-se sério problema na coluna. O seu quadro piorou devido a uma parada cardíaca sofrida na última sexta-feira, ocasião em que lhe foi implantado um marcapasso.

Após esse procedimento, ele foi sedado e durante esses últimos dias permaneceu incomunicável, sem reação. Nesta manhã de sábado, Frei Faustino, então, veio a falecer.

O velório acontecerá a partir das 4 horas desta madrugada na Igreja Matriz de Santo Amaro da Imperatriz (SC), e a Missa de corpo presente, neste domingo, às 9h30.

Natural de Santa Maria (SC), Frei Faustino nasceu no dia 29 de março de 1937 e ingressou na Ordem dos Frades Menores no dia 19 de dezembro de 1957.

Ele foi um dos frades que iniciou sua formação nos primórdios do Seminário de Agudos. Fez a profissão solene no dia 2 de fevereiro de 1962 e foi ordenado sacerdote no dia 14 de dezembro de 1963.

Sua primeira transferência foi para o Provincialado, no Largo São Francisco, como secretário do Provincial e arquivista. Depois, ficou dois anos em São Lourenço (MG) e dez anos em Petrópolis, onde foi com a incumbência de criar uma paróquia modelo.

Eleito Definidor, morou em Florianópolis e, quando se reelegeu, foi  transferido para Niterói e Ipanema. Residiu também em Ituporanga. Veio para Santo Amaro da Imperatriz em 2001, quando esteve diante do seu maior pesadelo: amputar a perna direita devido a uma queda no canteiro do convento, que estourou veias e tendões. “Era domingo de Ramos. Eu fiquei ainda uma semana com a perna enfaixada até ser operado no sábado de aleluia. O médico chegou e me disse que se quisesse salvar a vida e a outra perna, precisava amputar. Eu sentia muita dor e gritava dia e noite. Depois da cirurgia, as dores passaram”, contou o frade em uma entrevista.

Segundo Frei Tomelin, naquele momento não deu para imaginar as consequências. “Lembro que me mandaram uma psicóloga para conversar comigo. Ela disse: ‘Mandaram-me aqui para falar com o sr’. Dsse-lhe: ‘Senta aí. Qual é o seu problema?’ (risos)”, brincou o frade, reconhecendo: “Depois, quando gente vê as limitações, e, muitas vezes, a maneira de ser tratado, é duro…”

Desde 2001, Frei Faustino foi orientador espiritual da Pastoral da Mãe Peregrina de Schönstatt, quando se iniciou na Paróquia de Santo Amaro.

Diariamente, Frei Tomelin celebrava a Santa Missa na residência dos frades, onde participavam fiéis da comunidade. Ele também celebrava na matriz e nas comunidades.

Rezemos pelo nosso confrade Frei Faustino para que Deus o acolha em seu Reino e lhe proporcione o descanso merecido!