Frei Valmir pede uma cultura de paz no Brasil

São Paulo (SP) – O terceiro dia (14/02) do Encontro do Governo e Definitório Geral com os Ministros e Custódios das Conferências dos Frades Menores do Brasil e do Cone Sul teve início com a Celebração Eucarística, às 7h30, no Convento e Santuário São Francisco,  no centro de São Paulo (SP). O brasileiro Frei Valmir Ramos, que é Definidor Geral, responsável pelas Conferências Bolivariana e Brasileira, presidiu a Celebração Eucarística, tendo como concelebrantes o guardião Frei Mário Tagliari e o pároco Frei Alvaci Mendes da Luz. A Celebração foi especial com o início na Igreja do Tempo Quaresmal e da Campanha da Fraternidade (CF). Frei Valmir, introduzindo o tema da CF – “Fraternidade e superação da violência” – foi enfático ao afirmar que os cristãos são convidados a abraçar a causa da Igreja, para construir a paz, para dizer não à violência e fazer nascer uma cultura de paz.

Frei Mário deu as boas vindas aos participantes e à comunidade paroquial, que lotou a Igreja. “É uma honra muito grande ter o Governo Geral da Ordem dos Frades Menores em nosso meio neste dias de encontro”, disse o guardião.

conesul_140218_ladoEm sua homilia, Frei Valmir destacou que hoje se inicia um tempo mais propício para dar início a um caminho de conversão, de penitência:  “Sabemos que a Quaresma é um período de preparação para a Páscoa, a festa da vida, pois tendo Jesus abraçado à cruz e a morte, ressuscitou. Na celebração da Páscoa, temos a origem e sentido de todas as outras celebrações; por isso, se faz importante viver à Quaresma de modo muito concreto em nossa vida, com o ouvido bem aberto e inclinado para a Palavra de Deus, que vai iluminando o nosso caminho de conversão”, disse o Definidor Geral.

Segundo Frei Valmir, Jesus pede que a oração seja do fundo da alma. “Isso significa orar de modo humilde, rezar de coração pra coração, pois dizer muitas palavras não quer dizer que Deus vai nos ouvir, porque Deus ouve o silêncio do coração. É a oração humilde, com o coração, e também cheia de confiança, pois sabemos que Deus esta nos ouvindo, não para nos condenar, mas para acolher-nos na vida Dele”, acentuou o frade, evidenciando a necessária confiança em Deus, e ao mesmo tempo comprometendo-se a percorrer com fidelidade o caminho da conversão.

Segundo ele, Jesus ensina no Evangelho o modo de proceder e de praticar a justiça, que quer dizer, realizar obras de misericórdia. De modo concreto e por meio de ações que podem ser pequenas, mas sensíveis às necessidades do outro. “Jesus fala também da penitência. Ouvimos na primeira leitura uma expressão forte do profeta Joel: ‘Rasgai os vossos corações e não as vestes’, e isso significa que não se faz penitência para que os outros nos vejam, mas sim para que esta atitude possa mudar a nossa vida. O caminho de penitencia é fazer crescer o amor ao próximo. O verdadeiro jejum não vai ser aquele em que nós não comemos hoje para comermos amanhã, mas aquele de partilhar o pão. O jejum é o de não comer e dar de comer aqueles que não têm, eis um apelo grande desta Quaresma”, ressaltou Frei Valmir.

conesul_140218_meioII

Introduzindo a Campanha da Fraternidade, que acontece em todo o Brasil e que já completou mais de 50 anos, e que em todos os anos traz um tema importante de reflexão, oriundo do Evangelho, Frei Valmir apresentou o objetivo geral desta CF que é: ‘Construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência’.  “Este ano a causa é a paz, por isso o tema da CF é sobre a superação da violência. Construir a paz, aí esta um missão para todos os cristãos, para nós franciscanos e comunidade em geral. Hoje nós vivemos num mundo que possuí uma cultura desvirtuada, onde ao invés de se ter uma cultura de paz, como pede a CF, tem-se uma cultura de violência. Daí uma necessidade da promoção da paz”, disse, lamentando que o  Brasil é um dos países mais violentos do mundo. “E a Igreja não quer ficar de braços cruzados diante da violência, esperando pelos governantes que façam alguma coisa. Infelizmente nossos governantes não conseguem criar politicas públicas para acabar com a violência”, observou, ressalvando, contudo, muitas ações de construções de paz que não são feitas pelos governantes, mas pelo povo de Deus. “E a Igreja quer ser uma destas ações, por isso, meus irmãos,  somos convidados, nesta Campanha da Fraternidade, a abraçarmos a causa da Igreja do Brasil, para construirmos a paz, para dizermos não à violência, seja em casa, na rua, onde for”, completou Frei Valmir.

BÊNÇÃO DAS CINZAS

Em seguida, o celebrante prosseguiu com a bênção das cinzas: “Estas cinzas são um sinal de penitência e indicam uma disposição para fazermos o caminho de conversão”, disse, sinalizando na sequência a testa de cada participante.

conesul_140218_meio

No final da celebração, Frei Mário convidou todos os frades do Governo Geral da Ordem dos Frades Menores a se dirigirem até a frente do altar e, com a ajuda de Frei Valmir, apresentou-os à comunidade do Santuário e Convento São Francisco.

Hoje, os frades estarão trabalhando em grupos e, à tarde, apresentarão os resultados na plenárias. Vale lembrar que também hoje, às 21 horas, o Ministro Geral Frei Michael Perry estará ao vivo, pela primeira vez no Brasil,  na página do Facebook da Província Franciscana. O representante de São Francisco de Assis vai falar sobre os grandes desafios da humanidade na atualidade, da Ordem Franciscana e da Igreja. Não perca!

Equipe de Comunicação da Província

CONFIRA ALGUMAS IMAGENS DESTE TERCEIRO DIA DE ENCONTRO