Vida CristãReflexões › 25/10/2011

Cultura

“Para Francisco, não há, de um lado, a beleza do mundo, o Sol, a luz e, de
outro, os humilhados, os relegados à sombra, os que sofrem. Há um encontro dos
dois. Há um AMOR PELA VIDA que engloba todos os seres e traz aos mais deserdados
a alegria da luz.

Há uma reconciliação entre o mundo dos pobres e a
beleza do mundo. Mas como? Qual é o segredo?”
(“O Sol Nasce em Assis”, Eloi Leclerc)

A raiz da palavra cultura está nas raízes da língua semítica “Kelt” = ato de revolver a terra com o instrumento do trabalho.

CULTIVAR. TRANSFORMAR. REVOLVER. FECUNDAR.

Conhecer. Plantar. Colher. Recolher

“Debulhar o trigo
Recolher cada bago do
trigo
Forjar do trigo o milagre do pão
E se fartar de pãoDecepar a cana
Recolher a garapa da cana
Roubar da cana a doçura do
mel
E se lambuzar de melAfagar a terra
Conhecer os desejos da terra
Cio da terra
Propícia
estação
E fecundar o chão

(Chico Buarque, Milton e
Gil)

Você que veio de longe ou de perto para o terreno fértil da Universidade São Francisco:
O que você sabe da sua vida e dos outros quanto a: Origem, costume, região, família, raça, tradição, comportamento?

Conhecer não é só olhar o físico (ou somente certas partes do físico), saber o nome ou que curso faz… O que você sabe do DIFERENTE que está na pessoa do outro (a):

• linguagem, sotaque, maneira de comunicar-se por gestos, palavras, movimentos e expressões;

• modo de vestir, alimentar-se

• jeito de relacionar-se, exercer profissão, fazer política e economia;

• normas e leis;

• jeito de ver as coisas, de crer, de confiar, de orar, de cantar, fazer arte, tocar instrumento;

• jeito de viver emoções, alegrias, tristezas, esperança e conquistas.

CULTURA É A IDENTIDADE DE UM POVO!

Você tem prestado atenção e cultivado a riqueza de conviver com a diversidade de sua convivência humana na São Francisco?
REVELE QUEM É! Sua vida é uma história para contar!

“Mas renova-se a esperança
Nova aurora cada dia
E há que se cuidar do broto
Pra que a vida nos dê
Flor e fruto
Coração de estudante
Há que se
Cuidar da vida
Há que se cuidar do mundo
Tomar conta da amizade
Alegria e muito sonho
Espalhados no caminho
Verdes, plantas e sentimento,
Folhas, coração, juventude
E fé!”

(“Coração de Estudante”,Milton Nascimento e Wagner Tiso)

CULTURA é tudo que um grupo humano desenvolve para
viver, sobreviver, conviver, relacionar, interpretar e dar sentido à
vida.
CULTURA é a descoberta, conquista, conhecimento,
benefício, direito de todos, partilha de experiências.

“Eu não quero a sua cultura. Algum entre vocês não tem dinheiro e mata os outros para ter um pouco. Outros bebem álcool e
bêbados destroem a si mesmos e os outros. Eu tenho medo mesmo! Nós, os Kayapós, pelo menos temos consideração e compreensão para com os outros. Somos todos irmãos e tios uns dos outros. É por isso que temos respeito, que protegemos uns
aos outros. Vocês, brancos, não se preocupam com os de menos sorte. Vocês mentem uns para os outros. Eu descobri!”
(Raoni, cacique Kayapó)

O cacique quer chamar atenção para que as pessoas não são iguais. É preciso compreender que cada pessoa tem um passado, um presente histórico, um projeto de vida na busca de sua realização…

Pensar somente em si não é cultura… Por causa do egoísmo tem muita gente oprimida, discriminada, desprezada por
causa da cor de pele, da origem, do lugar em que mora, porque é bolsista, porque não sabe se vestir…

CULTURA é conhecer e respeitar os valores das pessoas. Cultura não é só estudo. Os valores
que cada pessoa cultiva é que demonstram a sua sabedoria.

Vamos ouvir Jô, 5-10

“Chegou, então, a uma cidade da Samaria chamada Sicar, perto do campo que Jacó tinha dado ao seu filho José. Aí ficava a fonte de Jacó. Cansado da viagem, Jesus sentou-se junto à fonte. Era quase meio-dia.

Então chegou uma mulher da Samaria para tirar água. Jesus lhe pediu: “Dê-me de beber”. A samaritana perguntou: “Como é
que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou samaritana?” (De fato, os judeus não se dão bem com os samaritanos). Jesus respondeu: “Se você conhecesse o dom de Deus, e quem lhe está pedindo de beber, você é que lhe pediria. E ele daria a você água viva”.

REFLITA
Quando os irmãos andarem pelo mundo, nada levem consigo para a
viagem, nem bolsa, nem alforje, nem pão, nem dinheiro, nem bastão. Ao entrarem numa casa, digam primeiro: “A paz esteja nesta casa. E ficando nesta casa, comam e bebam do que aquela tiver”
(São Francisco, Regra não Bulada, 14,1)

Quando você vai a uma casa de amigos, a uma república, a uma visita… acolha o hábito de seus moradores e tudo o que eles possam oferecer.Um relacionamento fraterno entre pessoas, sem opressão, sem exploração, é condição indispensável para uma troca e enriquecimento entre diferentes culturas.

“É dando que se recebe!”Ganância não cria cultura, cria posse e fechamento.

Mídia, informática, internet são meios para integrar diminuindo distância, agilizando conhecimento, favorecendo laços de amizade. Mas use sempre para melhorar a sua vida e seu discernimento!

Como você cultiva um relacionamento homem e mulher? São os mais próximos entre os seres criados. Têm muitas diferenças e riquezas entre si. Não pode ser apenas um encontro de macho e fêmea, mas sim o cultivo da complementação do humano.

A verdadeira relação se dá onde não existe dominador e dominado, nem vencido e vencedor, nem atrasado e adiantado, nem santo e pecador, nem dependente e auto-suficiente, mas cada um (a) pode ser do jeito que Deus planejou e a colocou no mundo!

“Fazei-me um instrumento de VOSSA PAZ!”
“O Brasil é um país oprimido, com ânsia de libertação e profundamente religioso! Percebemos hoje uma enorme criatividade do povo brasileiro, não encontrando condutos para sua expressão, nem cultural, nem política, privilegia
o conduto espiritual, que é o espaço mais livre, que é onde pode mais criar, encontrar-se, discutir sua vida e projetar a sua utopia. São desafios que se lançam a nós para sermos protagonistas de um novo humanismo, de um novo tipo de
sociedade mais fraterna, aberta à transcedência, de um ecumenismo ideológico, muito mais aberto aos sistemas que não sejam totalitários, e com uma grande componência religiosa da nossa herança histórica.”(Leonardo Boff)

Do folheto impresso pela Pró-Reitoria Comunitária da Universidade São Francisco
Criação: Frei Vitório Mazzuco F°, ofm