Vida CristãSantos franciscanos › 11/10/2017

Bem-aventurados Francisco, Caio, Tomás, Leão, Luís e Lúcia

Bem-aventurados Francisco, Caio, Tomás, Leão, Luís e LúciaMártires japoneses da Terceira Ordem (+ 1622-1628). Beatificados por Pio IX no dia 7 de julho de 1867.

A perseguição religiosa do século XVII rendeu à Igreja 205 mártires, que foram beatificados solenemente por Pio IX a 7 de julho de 1867.

Fazem parte desta gloriosa falange os membros da Ordem Franciscana Secular: Francisco, Caio, Tomás, Leão, Luís e Lúcia. São escassas as notícias acerca de suas vidas, mas nem por isso deixa de ser grande o seu heroísmo. Leão sofreu o martírio na Colina Santa de Nagazali a 19 de agosto de 1622, e no mesmo Calvário japonês, mas quase cinco anos mais tarde, a 18 de agosto de 1627, imolaram a vida por Cristo os mártires Francisco, Caio, Tomás e Luís.

Luísa ou Lúcia, por sua vez, era filha de um nobre de Nagasaki, casada com um português rico, Filipe Fleites, que faleceu pouco depois do casamento. A viúva, cristã fervorosa, dedicou-se totalmente à oração e ao apostolado de obras de caridade e de beneficência. Era conhecida como a “mãe dos missionários”, “consoladora dos aflitos”, “protetora dos pobres e desvalidos”. Como fervorosa terceira franciscana, foi desse carisma que hauriu o segredo da santidade.

Sua casa tornar-se asilo de cristãos e missionários, perseguidos pelas injustas leis do governo. Por denúncia de cristãos que negaram a fé, viu sua casa cercada de soldados e foi, juntamente com outros missionários, levada à prisão. No dia 10 de setembro de 1622 foi levada ao local do suplício.

A Beata Lúcia de Fleites, vestida com o hábito franciscano e empunhando uma cruz, procurava animar os demais cristãos: “Encomendemo-nos a Deus com confiança, e ele se encarregará de nos assistir e nos dar forças para suportarmos por ele todos os padecimentos. As santas virgens Inês, Cecília e Águeda, sendo embora frágeis donzelas, conseguiram ser fortes no martírio. Também nós Deus nos há de ajudar e dar coragem para morrermos por ele. Mulheres, coragem! Mostremo-nos fortes para confundirmos os perseguidores da nossa fé. Jesus, esposo das nossas almas, tem preparada para nós uma deslumbrante coroa de glória. Hoje mesmo estaremos com ele no paraíso!”

Morreu cantando o Magnificat, enquanto seu corpo, que já contava com 80 anos, ardia em meio às chamas acesas pelos soldados.

Fonte: “Santos Franciscanos para cada dia”, Ed. Porziuncola.