Vida CristãSantos franciscanos › 20/12/2017

Serva de Deus Serafina de Jesus Farolfi

Serva de Deus Serafina de Jesus FarolfiVirgem da Terceira Ordem Regular (1853-1917). Fundadora das Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento. A causa de sua beatificação está em curso.

Maria Francisca Farolfi nasceu em Tossignano de Ímola (Bolonha) no dia 6 de outubro de 1853 e morreu em santidade em Badia di Bertinoro (Forli) no dia 18 de junho de 1917 aos 64 anos de idade.

É uma destas pessoas que passam pela terra deixando a impressão do céu. Sua ardente alma não conhecia obstáculos e não admitia pausas. Desde jovem mostrou-se doce e voluntária. O delicado complexo físico era compensado por uma rara fortaleza moral. Jovem inteligente, culta e vivaz, enquanto lhe sobrevinha um porvir rico de belas perspectivas, ouviu a voz do Senhor. No mosteiro das Irmãs Clarissas de Forli pôde realizar seu sonho de perfeição religiosa. O itinerário desta frágil, mas valente mulher é sugestivo e audaz. Quando é Deus que conduz, chega-se ao ponto.

O mosteiro era precário e necessitava de restaurações urgentes. Portanto Madre Serafina com todas as formandas necessitava de ar e de saúde, foi enviada pelos superiores a Bertinoro, onde transcorreu o proveitoso período de repouso, de oração e de reflexão. O Senhor lhe mostrou a extrema necessidade de assistir, educar e formar a juventude, demasiadamente ainda abandonada às duras leis da rua. Assim, com a aprovação e benção dos superiores e do bispo Monsenhor Polloni, com um grupo de generosas discípulas deu início ao Instituto das Irmãs Clarissas Missionárias Franciscanas do Santíssimo Sacramento. Aprovado por São Pio X com decreto temporário em maio de 1907, e definitivamente por Benedito XV a 12 de agosto de 1915. Agregado à Ordem dos Frades Menores pelo Ministro Geral, Padre Dionísio Schuler a 28 de abril de 1904.

É uma congregação de direito pontifício onde as irmãs professam a regra de Santa Clara, modificada com especiais constituições. Sua espiritualidade é a franciscana, com estas expressões específicas: culto especial à Eucaristia, apostolado nas missões e na educação da infância e da juventude mais necessitada, vida autenticamente evangélica, aberto testemunho da caridade de Cristo.

A Madre Serafina de Jesus, alma aberta aos mais atuais problemas, se adiantou no tempo: o programa deixado por ela a suas filhas podemos resumi-lo em três principais aspectos: alma eclesial, alma eucarística e alma educadora. Surgiram assim numerosos colégios e escolas que ainda hoje atendem a milhares de jovens, hospitais, albergues, assistência espiritual aos militares e encarcerados, trabalho apostólico em países católicos e nas terras de missões.

Sua obra continua nas diversas atividades que realizam suas filhas, alimentada pela oração e o sacrifício, para levar a Cristo aos fiéis e aos infiéis, para que todos o glorifiquem num hino de louvor e de perfeita alegria.

Fonte: “Santos Franciscanos para cada dia”, Ed. Porziuncola.