Vida CristãSantos franciscanos › 29/12/2017

Bem-aventurado Geraldo de Valencia

Bem-aventurado Geraldo de ValenciaReligioso da Primeira Ordem (1270-1345). São Pio X aprovou seu culto a 13 de maio de 1908.

Geraldo Cagnoli nasceu em Valença, Piamonte, aproximadamente em 1270. Depois da morte de sua mãe, ocorrida em 1290 (seu pai já era falecido), abandonou o mundo e viveu como peregrino mendigando o pão e visitando os santuários.

Esteve em Roma, Nápolis, Catania e possivelmente em Erice (Trapani). Impressionado pela fama de santidade do franciscano São Luís de Anjou, o bispo de Tolosa, ingressou na Ordem dos Frades Menores em Randazzo, Sicília, onde fez o noviciado e viveu algum tempo. Do convento de Randazzo passou a Palermo na qualidade de porteiro e permaneceu até sua morte sendo a admiração de seus co-irmãos e dos fiéis por suas virtudes.

Perto da porta do convento plantou um cipreste e montou um pequeno altar em honra da Virgem e de São Luís de Anjou, de quem era devoto. Ali ardia continuamente uma lâmpada de azeite. Com um pequeno ramo de cipreste banhado no azeite da lâmpada, benzia os enfermos com seguinte fórmula: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, pela intercessão da Virgem Maria, de São Francisco e de São Luís sê lliberto desta enfermidade”. Os milagres se sucediam.

Enrique d’Abbati braço direito do rei, estava gravemente enfermo e se tinha perdido toda a esperança. Frei Geraldo foi chamado e consolou com palavras fraternas o enfermo. Colocou-se em profunda oração. Dormia poucas horas sob uma desnuda tábua; com instrumento de penitência maltratava seu corpo; contínua oração, íntima união com Deus, era o programa de sua vida.

Tinha transcorrido mais de 30 anos na Ordem Franciscana, quando na festa de São João Evangelista de 1345 se lhe apareceu a Santíssima Virgem e lhe assegurou que dentro de dois dias voaria ao céu. Ante este anúncio Geraldo se alegrou muitíssimo e se preparou para as bodas eternas com grande fervor. A 29 de dezembro recebeu com profunda devoção os últimos sacramentos da fé e adormeceu serenamente no sono dos justos. Tinha 75 anos.

Seu sepulcro foi meta de muitas peregrinações de devotos que iam a seu socorro. Seu culto continuou sem interrupções. Os despojos mortais do Beato Geraldo Cagnoli repousam no templo de São Francisco em Palermo, a poucos passos da porta do convento que por longos anos foi testemunha de sua santidade.

Fonte: “Santos Franciscanos para cada dia”, Ed. Porziuncola.