Vida CristãSantos franciscanos › 07/04/2017

Bem-aventurada Maria Assunta Pallotta

Virgem da Terceira Ordem Regular (1878-1905). Religiosa franciscana Missionária de Maria. Beatificada por Pio XII, no dia 7 de novembro de 1954.

Maria Assunta Pallotta, filha de Louis Pallotta e Euphrasia Casali, nasceu em Force (Ascoli Piceno) em 20 de agosto de 1878, primogênita de cinco irmãos. Ela viveu os primeiros anos em Castel di Croce até sua família se mudar permanentemente para Force. Ela não pôde seguir estudos regulares porque teve de se dedicar ao trabalho.

A determinação para deixar o mundo veio para ela de uma maneira súbita e urgente, ocasião em que foi ajudada por pessoas boas, dada a pobreza de sua família. Ela foi encaminhada para a casa de provação das Franciscanas Missionárias de Maria no dia 4 de maio de 1898. Ela viveu em Roma e Florença Grottaferrata, distinguindo-se pela simplicidade, a humildade, a prontidão para realizar os serviços mais modestos e os trabalhos mais pesados.

O Instituto das Irmãs Franciscanas de Maria recebeu o seu batismo de sangue no dia 7 de julho de 1900 com o martírio de sete missionárias em Shansi, China. A fundadora comunicou à jovem congregação a notícia entre dor e orgulho. Em 1903, Maria Assunta pediu à fundadora para ser enviada à China para dar a vida por Cristo e pela fé.

A petição foi aceita e, em 19 de Março do ano seguinte, depois de receber a bênção de São Pio X, juntamente com nove outras irmãs, embarcaram em Nápoles para Shansi, onde chegaram três meses mais tarde. Seu desejo era para se entregar ao apostolado, mas foi designada para a cozinha.

O inverno foi extremamente rigoroso nos primeiros meses do próximo ano, 1905, e toda a Shansi foi tomada por uma terrível epidemia de tifo, quando quatro religiosas morreram de tifo. A terceira delas foi Irmã Maria Assunta. Ela ficou doente em 19 de março, aniversário da sua partida da Itália. Na tarde de 7 de abril recebeu os últimos sacramentos e vinte minutos antes de morrer, um perfume misterioso encheu a sala onde vivia. Em 1913, seu corpo foi encontrado em perfeito estado. Os chineses a chamavam de “o perfume sagrado.” Ela é a primeira missionária franciscana de Maria que recebeu o reconhecimento oficial de sua santidade sem passar pelo martírio. Ela queria fazer com que todos os habitantes da China se convertessem, mas seu apostolado foi rápido: terminou aos 27 anos de idade.