Vida CristãSantos franciscanos › 29/05/2017

Bem-aventurado Herculano de Piegaro

Sacerdote da Primeira Ordem (1390-1451). Aprovou seu culto o Papa Pio IX no dia 29 de março de 1860.

Herculano nasceu em Piegaro, Província de Perusa, em 1390. Aos vinte anos vestiu o hábito franciscano, propondo-se a imitar Pobrezinho de Assis no ardor da caridade e no zelo apostólico. Teve como mestre o Beato Alberto de Sarteano, que com São Bernardino de Sena, São Tiago das Marcas e São João Capistrano foram as colunas da Observância, aquele providencial movimento para reconduzir a Ordem dos Frades Menores à genuína pureza da Regra.

Ordenado sacerdote, exerceu o ministério da pregação percorrendo povoados e cidades com grande proveito das almas, que voltavam para Deus com a prática da vida cristã. um dos argumentos que desenvolvia com preferência era a Paixão de Cristo. Numa sexta-feira santa pregou em Áquila com tanta veemência a Cristo sofredor morto sobre a cruz, que os fiéis prorromperam em pranto.

Depois de anunciar ardorosamente o Evangelho, chegava aos conventos destinados ao retiro e à solidão onde, em perfeito silêncio, em oração assídua, em penitência austera, refazia novamente o espírito de intenso fervor. Com frequência alimentava-se somente da Eucaristia, de pão e de água.

Em 1429, seu ilustre mestre, o Beato Alberto de Sarteano o quis como companheiro em uma missão especial na Palestina. Ali, por ordem de Eugênio IV ia para tomar posse dos Lugares Santos em nome da Ordem dos Frades Menores. A visita aos lugares santificados pela vida de Jesus, da Virgem e dos Apóstolos, deixou no coração de Herculano uma marca indelével. Depois de alguns meses retornou à sua pátria completamente transformado, pronto a retomar seu caminho apostólico.

Em 1430, enquanto pregava a quaresma na Catedral de Lucca, os florentinos assediaram a cidade. Herculano se ofereceu como mediador de paz, interessou-se em socorrer os sitiados e, faltando víveres, ocultamente fez introduzir no cerco da cidade o que era necessário para sustentar a povoação. Predisse a retirada das forças inimigas e a vitória dos Lucenses. Os cidadãos em sinal de agradecimento, cederam ao Beato o convento de Pozzuolo. Construiu outros dois conventos na Toscana: em Barca e em Castelnuovo, na Carfagna, onde foi sábio e zeloso superior.

A 28 de maio de 1451, aos 61 anos de idade adormeceu santamente na paz do Senhor. Os milagres glorificaram sua vida apostólica e também sua tumba.

Fonte: “Santos franciscanos para cada dia”, de Frei Giuliano Ferrini e Frei José Guillermo Ramírez, OFM, edição Porziuncola.