JUFRA

Etapas da Formação

ETAPAS DE FORMAÇÃO:

 

a) A JUFRA do Brasil apresenta, segundo suas Diretrizes de Formação, as seguintes etapas: ETAPA DE FORMAÇÃO INICIAL, ETAPA DE FORMAÇÃO BASE DA JUFRA e ETAPA DE FORMAÇÃO FRANCISCANA SECULAR.
a.1) Considera-se como sigla para essas etapas: EFI (ETAPA DE FORMAÇÃO INICIAL), FBJ (ETAPA DE FORMAÇÃO BASE DA JUFRA) e EFF (ETAPA DE FORMAÇÃO FRANCISCANA SECULAR).

b) Denomina-se:

b.1) jovem iniciante aquele(a) que estiver na Etapa de Formação Inicial;

b.2) jufrista aquele(a) que estiver percorrendo a Etapa de Formação Base da JUFRA, uma vez que já fez seu compromisso franciscano de vida no Retiro Inicial desta etapa;

b.3) jufrista formando(a) aquele(a) que foi admitido a uma fraternidade da Ordem Franciscana Secular e que estiver, portanto, percorrendo a Etapa de Formação Franciscana Secular;

b.4) jufrista professo(a) aquele(a) que fez sua Profissão na Ordem Franciscana Secular e continua pertencendo a uma fraternidade de JUFRA até a idade prescrita pelo Estatuto da JUFRA do Brasil.

logojufra_150816c) Na JUFRA do Brasil, a principal responsável pela condução e acompanhamento do seu processo formativo é a Equipe de Formação que, em seus diferentes níveis, é constituída por: Secretário(a) Fraterno(a); Secretário(a) de Formação; Secretário(a) de Direitos Humanos, Justiça, Paz e Integridade da Criação (DHJUPIC); Secretário(a) de Ação Evangelizadora (AE); Secretário(a) de Infância, Mini e Micro Franciscanos (IMMF); Animador(a) Fraterno(a) e Assistente Espiritual.

c.1) A coordenação da Equipe de Formação será conduzida pelo(a) Secretário(a) de Formação.

d) A passagem de uma Etapa de Formação para a outra é realizada no Retiro Inicial.

d.1) Compete às Equipes de Formação Regional e Local a preparação e realização dos Retiros Iniciais de cada Etapa de Formação, bem como o seu acompanhamento;

d.2) A metodologia de acompanhamento e realização dos Retiros Iniciais e respectivas etapas formativas fica a critério das Equipes de Formação Regional e Local, de acordo com as distintas realidades;

d.3) Os retiros iniciais de cada etapa também podem ser realizados em nível distrital e regional.

e) Não havendo um Regional estruturado, cabe ao Secretariado Fraterno Nacional, com a colaboração do Regional da OFS, a preparação e a realização dos retiros iniciais, bem como o acompanhamento de cada Etapa de Formação.

f) Compete à Equipe de Formação Local e/ou Regional a realização da Etapa de Formação Inicial e Etapa de Formação Base da JUFRA, e a Etapa de Formação Franciscana Secular, sendo esta de responsabilidade do Conselho Local da OFS, especialmente do(a) Animador(a) Fraterno(a).

f.1) A Equipe de Formação Local fomente no(a) jovem a busca e o desejo por uma formação pessoal mais profunda, acompanhando-o(a) e orientando-o(a).

g) A JUFRA reconhece a possibilidade de realização de encontros formativos específicos de cada etapa a nível distrital e regional, desde que as fraternidades locais assumam junto com a Equipe de Formação Regional a organização desses encontros, o que não dispensa as fraternidades locais de organizarem as suas formações.

h) Recomenda-se que os novos contatos interessados em criar uma fraternidade de JUFRA utilizem o material específico disponibilizado pelo Secretariado Fraterno Nacional antes de começarem a Etapa de Formação Inicial.

i) O(A) jovem iniciante ou jufrista deve ter atingido os objetivos da etapa concluída, confirmados pela Equipe de Formação responsável da fraternidade, e pelo Conselho Local da OFS (no caso da EFF), para que possa realizar o Retiro Inicial da próxima etapa.

j) Considerar as atividades de DHJUPIC e Ação Evangelizadora, contemplando as dimensões humana, cristã, sócio-político-ambiental e franciscana, como parte do processo formativo.

k) Criar estratégias, dentre as quais, relatórios de acompanhamento e reuniões periódicas com os(as) formadores(as) nos respectivos níveis, para acompanhar o(a) jufrista durante o tempo formativo, a fim de evitar que o(a) jufrista permaneça por muito tempo nessa mesma etapa.