CFMB

Fundação Franciscana de Nossa Senhora de Fátima do Brasil

* Em 2015 a Fundação Franciscana de Nossa Senhora de Fátima do Brasil foi unificada à Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus.

Situada na região: Triângulo Mineiro.

Endereço da Sede:
Caixa Postal 244 – Uberlândia (MG)
CEP: 38400-450
Fone: (34) 3236-2468

No dia 28 de Julho de 1949, o então Ministro Geral da Ordem Franciscana, Frei Agostino Sépinski, verificada a falta de sacerdotes na América Latina, dirigiu apelo à Ordem, no sentido de resolver este grande problema. O bispo diocesano de Uberaba (MG), Dom Alexandre Gonçalves do Amaral, em agosto de 1952 ofereceuà Ordem Franciscana duas paróquias de sua diocese. O Ministro Provincial da Província Franciscana de Santa Cruz de Belo Horizonte, em carta de 24 de junho de 1953, cedia à Província Franciscana Salernitano Lucana (Salerno-Itália).

Em 3 de maio de 1953, o Ministro Geral ordenou que a Província Italiana acima mencionada, assumisse a responsabilidade de enviar os seus frades para a Diocese de Uberaba. A 25 de agosto de 1954, o Ministro Geral ratificou a escolha da denominação que o Provincial Frei Agostino Castrillo lhe apresentou, para ser dada à nova fundação: Fundação “Franciscana de Nossa Senhora de Fátima do Brasil” , reconhecida juridicamente e civilmente a 1° de agosto de 1965, sob a denominação de “Comissariado Franciscano de Nossa Senhora de Fátima do Brasil”.

No dia 1° de Janeiro de 1956, a Diocese entregava as paróquias de Nossa Senhora de Fátima de Araguari e Nossa Senhora de Fátima de Uberlândia. A ação dos frades foi direcionada para o campo paroquial. Por isso foram surgindo as paróquias — além de Araguari e Uberlândia — de Canápolis, Capinópolis, Cachoeira Dourada, Monte Alegre, Ponte Alta e Uberaba.

Sentiu-se, porém, no mesmo tempo a necessidade da alfabetização e, por conseguinte, da construção de colégios e seminários.

Mas, seja por falta de material humano, seja pela crescente sensibilização do Estado pelas classes menos favorecidas, que obrigou a construir escolas nas zonas mais subdesenvolvidas, a Fundação viu-se obrigada a ceder ao Estado algumas construções. Foi isso o que aconteceu com o Ginásio «São Francisco», em Canápolis, e o colégio «N. Sra. de Fátima», em Uberlândia. Enquanto o colégio «Santo Antonio», em Araguari, foi alugado ao mesmo estado.